Campeonato Mundial de Escalada – modalilade Boulder

Esse final de semana aconteceram as finais da modalidade Boulder do 11º Campeonato Mundial de Escalada, que acontece na cidade italiana de Arco.

As competições tiveram início na sexta-feira, com as qualificatórias  femininas e prosseguiu no sábado com as qualificatórias masculinas. Cada categoria tinha perto de 100 escaladores inscritos, que se revezaram em duas baterias de qualificatórias, encarando 4 boulders. No final, apenas os 20 primeiros colocados seguiriam para as semis. Os problemas das qualificatórias foram todos bastante técnicos, de equilíbrio, e acabou deixando muita gente forte, mas mais “dinâmica” de fora. Grandes nomes como Nalle Hukkaitaval, Alexey Rubstov e Guillaume Glarion Mondet ficaram de fora. O Brasil esteve representando no masculino, pelos escaladores Cesar Grosso, André Berezoski e Pedro Nicoloso. Nenhum dos 3 conseguiu avançar para a semi, mas Cesar Grosso passou muito perto ficando em 14º na sua qualificatória e 35º no geral, deixando para trás nomes como Carlo Traversi e Chris Webb Parsons. Isso, segundo informações de amigos, sem estar treinando para Boulder. André Berezoski teve desempenho parecido, mas uma agarra bônus a menos o fez cair um pouco mais na classificação. Pedro Nicoloso não conseguiu fazer nenhum top e acabou ficando bem atrás.

Entre as mulheres a coisa foi bastante parecida, boulders técnicos e de bastante equilíbrio, o que acabou sobrando para Alex Puccio, que tem um estilo bastante dinâmico. Fora ela, todas as outras favoritas se classificaram para a semi. O Brasil contou com a participação de Janine Cardoso e Thais Makino. Thais Makino começou bem, fazendo top logo no primeiro problema, mas acabou não conseguindo repetir o feito, e assim como Janine Cardoso, ficou bem atrás na qualificação.

No domingo aconteceram as semifinais e as finais, e aqui tenho que dizer, a organização do Campeonato Mundial deu um verdadeiro show de transmissão. Desde a semifinal já se notava a diferença. Câmeras de vários ângulos, captando os melhores momentos de  cada escalador, mostrando a platéia repleta de espectadores. Teve espaço até mesmo para replays. Ficou a impressão de estar assistindo realmente uma competição olímpica. Muito bom!

Mas vamos ao que interessa, resultados! As semifinais foram mais dinâmicas, e nela vimos cair 14 escaladores em cada categoria, para apenas 6 prosseguirem para a grande final. Entre as mulheres as finalistas foram Anna Störh, Akiyo Noguchi, Juliane Wurm, Sasha DiGiulian, e duas surpresas ruassas, Olga Bibik e Yana Chereshneva. Monstrando grande superioridade frente as concorrentes, Anna Störh encadenou todos os 4 boulders propostos e ficou com o título mundial de boulder! A americana Sasha DiGiulian lutou muito em todos os boulders, mas conseguiu apenas dois tops e ficou com a segunda colocação, seguida da alemã Juliane Wurm.

Mas foi entre os homens que o grande espetáculo se completou. Depois de uma semifinal bem disputada, passaram para a decisão Dmitry Sharafutidnov, Kilian Fischhuber, Adam Ondra, Cedric Lachat, Rustam Gelmanov e a surpresa Thomas Tauporn. O primeiro problema parecia bem dinâmico, mas segundo os comentários de Alex Johnson, os routesetters tinham pensado uma solução mais estática. Mas Cedric Lachat resolveu ficar com o dinâmico e completou o boulder com um movimento acrobático e muito bonito. O alemão Thomas Tauporn veio em seguida mas não conseguiu o top. Foi então a vez de Adam Ondra, que depois de uma primeira tentativa bem dinâmica, resolveu o problema da forma que os routesetters previram, bem estático, com os pés indo na frente. Muito bonito de se ver. Kilian Fischhuber descobriu o movimento da saída já praticamente no final, e se viu com problemas na hora de se reposicionar e dominar a agarra final. Acabou caindo com o cronômetro já zerado e sem tempo pra mais nada. Dmitry Sharafutidnov entrou no problema parecendo hesitante, abortando tentativas, mas sem voltar os pés ao chão. Depois de alguns instantes o russo descobriu o que fazer e fez. Mandou o primeiro problema de primeira, e assumiu a primeira colocação.

Os próximo problema viu Ondra e Sharafutidnov derrotá-lo em apenas uma tentativa, e viu Kilian Fischhuber ter bastante problemas e apesar de conseguir o top, deixar a impressão de que aquele não era o seu dia. No terceiro problema, bem técnico, Ondra mostrou toda sua técnica e fez top na primeira tentativa. Sharafutidnov acabou errando a primeira tentativa e deixou assim Adam Ondra mais perto dele na classificação. Rustam Gelmanov também conseguiu o top e continuou firma na briga.

O último problema foi espetacular. Lachat e Tauporn não conseguiram encaixar os primeiros movimentos e saíram sem o top. E ai veio Adam Ondra. O problema parecia bem difícil, e fazer top já seria uma grande vantagem. Ondra tentou 3 vezes até encaixar o movimento principal do boulder e fazer o top, isso com bastante braço para ainda pedir o aplauso da platéia antes de dominar a última agarra. Veio Rustam Gelmanov, e fez o boulder com duas tentativas, mas a soma total de suas tentativas nos boulders anteriores o mantiveram atrás de Ondra. Agora só faltava Sharafutidnov. Se ele fizesse top em até 4 tentativas, o título era dele. Mas mostrando estar numa forma invejável e completando uma apresentação quase impecável, Sharafutidnov encadenou o problema na primeira tentativa e ficou com o título mundial de boulder!

O Campeonato Mundial de Escalada continua essa semana, com as competições de Paraescalada, e no final de semana com a disputa das modalidades dificuldade e velocidade. Os atletas brasileiros vão estar de volta, e a espera é que o resultado na modalidade dificuldade.

Para os resultados completos e os horários das competições acesse o site do evento. E para acompanhar as transmissões em stream ao vivo, acesse o site da  IFSC.tv.

Facebook Comments