Resenha – Respira

Respira é um filme apaixonante. Apaixonante porque consegue capturar de forma bastante honesta o estilo de vida da escalada, as motivações de quem escala, e o qual o significado da escalada para um escalador. Contando com um elenco de escaladores locais, que escalam vias mais próximas da realidade brasileira (a via mais forte do filme é um 10b), o filme nos leva por uma viagem através da cena da escalada mexicana, apresentando alguns dos locais mais frequentados de escalada do país e deixando claro o imenso potencial mexicano para a escalada.

Buscando um enfoque de alguém de fora desse universo, o filme tenta capturar a essência da escalada, e consegue esse feito ao usar os depoimentos dos escaladores locais para amarrar toda a história. Todos os depoimentos são extremamente apaixonados, e é impossível qualquer escalador não encontrar eco em pelo menos um desses depoimentos. Neles encontramos a busca da superação, o gosto pelo risco que nos faz sentir vivos, o esporte como ponto de equilíbrio dentro da vida cotidiana, a importância de acreditar que se pode conseguir algo, as semelhanças com a própria vida (que me fez lembrar do meu texto “A escalada e a vida“) e aquilo que, na minha opinião, faz de uma pessoa um verdadeiro escalador: “Começa como um hobby, depois vira um esporte, e então fica sério e se converte num estilo de vida (…) você vive para escalar, trabalha para escalar, dorme para escalar, come para escalar, toda sua vida gira em torno da escalada“.

Aparecendo como um ponta no filme, está o escalador norte-americano Alex Honnold. Mas ao contrário do que possa parecer, Honnold não aparece no filme para roubar a cena. Claro que ele aparece escalando uma via muito bonita e mostrando por que é considerando um dos melhores escaladores do mundo na atualidade. Mas os realizadores usaram habilmente o segmento com Honnold para fazer um ótimo contraponto com a escaladora que veio em seguida: um escalador “internacional” que teve grandes oportunidades (oportunidade oferecidas pela cena da escalada norte-americana)  para alcançar o nível que alcançou, e a realidade de um país como o México, que segue seu caminho de evolução na escalada a passos mais lentos, mas fazendo bom proveito do potencial do país. E claro, não dá pra não deixar de traçar um paralelo entre a realidade mexicana e a brasileira.

Respira pode não ter as cenas de escalada mais impressionantemente filmadas que você já viu, nem as vias mais fodas que o mundo pode oferecer, mas é a verdade contida no filme que realmente vale a pouco mais de uma hora na frente da TV (no meu caso monitor) assistindo a produção. E o filme, ao adotar o nome Respira, vem ao encontro da conclusão de Alex Honnold durante o filme, de que é escalada não é um estilo de vida. Escalada é vida! E quem está vivo, obviamente, respira!

Ah, vale lembrar que o filme se encontra disponível para download gratuito no site da produtora, Evoluno! Portanto não perca essa oportunidade de ter esse filme na sua coleção!

ps: o filme inclui uma cena pós-créditos com Alex Honnold, discutindo aspectos mais “metafísicos” da escalada.

Facebook Comments