Uso de friends e ATC pode ser proibido no Brasil!

Não, não é os escaladores brasileiros querendo imitar a República Tcheca e banindo das paredes brasileiras as proteções móveis. É mais uma lambança dos legisladores brasileiros, que sem entender absolutamente nada de esportes de aventura, muito menos de escalada, e influenciados pelo lobby gigantesco das empresas de turismo encabeçadas pela ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Turismo de Aventura) tem criado projetos de lei estapafúrdios que ameaçam acabar com a prática livre do montanhismo no Brasil.

Primeiro foi aquele lance da regulamentação dos esportes, que quase ia cair no colo da ABETA e das empresas de turismo, deixando as confederações de montanhismo sem função nenhuma, praticamente obrigando todo escalador que quisesse subir um pedaço de pedra no Brasil, tivesse que ou ser certificado pela ABETA, ou estar acompanhado de um guia certificado por ela.  Mas a galera da montanha fez barulho, e acabaram alterando o texto, deixando mais clara a diferença entre “Esporte de Aventura” e “Turismo de Aventura”.

Tava indo tudo jóia, tudo bacana, a certificação de instrutores de montanhismo ficaria nas mãos das entidades de montanhismo, tudo lindo. Mas passando pela Câmara, adicionaram 3 emendinhas: a primeira muda o lance da certificação e diz que tem que ser certificados pelas entidades tanto os instrutores quanto os praticantes. Ou seja, pra escalar você vai ter que ter carteirinha de algum clube, alguma associação ou coisa que o valha. A CBME é contra essa emenda.

A segunda emenda é uma casquinha de banana. Versa sobre a certificação dos equipamentos, e diz que só podem ser utilizados equipamentos certificados pelas entidades de montanhismo. Como a CBME é filiada a UIAA e esta já faz certificação de alguns equipamentos, a história não causou tanto alarde. Mas o negócio é que a UIIA não certifica todos os equipamentos, como por exemplo os friends, ATCs e fitas de escalada. Assim sendo, caso seja aprovada essa emenda, os escaladores brasileiros vão estar proibidos de usar esses equipamentos, até que eles sejam certificados por alguma entidade desportiva, o que com certeza deve demorar pra caralho!

O projeto ainda vai voltar para o Senado para ser avaliado e aprovado, ou não. Como a Inês ainda não é morta, está rolando um abaixo-assinado contra essas emendas, que eu já assinei e recomendo “dicunforçamente” que qualquer escalador também assine. Sempre tive o pé atrás com abaixo-assinados, mas esse a causa é muito mais do que nobre e vale a pena pelo menos tentar sensibilizar nossos queridos e amados legisladores (pra não dizer outra coisa).

E se você quer saber mais sobre toda esse vai e vem de leis, ABETA, certificações, proibições, ou seja, essa lambança toda que tão fazendo lá por Brasília, recomendo alguns artigos do Alta Montanha:

Fonte: Alta Montanha

Facebook Comments