É no loop, viu?! | Para que serve o loop da sua cadeirinha

Um tempo atrás, um amigo iniciante na escalada me ligou para tirar uma dúvida. Ele queria saber se devia dar segurança com o mosquetão do freio no “loop” da cadeirinha ou passando pelas duas alças onde comumente se amarra a corda. Ele me disse que estava usando o mosquetão no “loop” e alguém havia dito que era mais seguro nas alças. De bate pronto eu avisei pra ele que o modo como ele estava usando era o correto e que não se preocupasse, mas não prestei muito mais informações sobre o porque.

Hoje, olhando os emails da lista que assino, bati o olho em um email muito interessante do David Marski falando justamente sobre o assunto, e explicando muito bem como usar o mosquetão do freio para rapelar ou dar seg, e porque o correto é no “loop”. Pensei então: porque não escrever sobre isso pro blog?

Belay Loop

Pra começar, o nome completo do “loop” da sua cadeirinha, é “belay loop“. Em bom portugûes, anel de segurança! Se você se deu ao trabalho de ler o manual da sua cadeirinha quando a comprou, vai estar lá bem explicado que o “loop” foi feito justamente para dar “seg” e para fazer rapel. Contudo, porém, todavia, algumas pessoas olham aquele anelzinho de fita e pensam: “esse negócio não aguenta é nada, muito mais seguro botar nas duas alças”. É uma lógica que faz sentido, até certo ponto. Mas quando você vai se informar mais, ou tem mais prática, vê que é uma lógica completamente furada.

Por que no Loop?

Como bem explica o Marski no email dele, um dos motivos para não se usar o mosquetão nas duas alças da cadeirinha enquanto estiver dando seg, ou rapelando, é devido ao freio não ficar na posição correta. Como você vê pelas imagens abaixo, com o mosquetão nas alças, o freio fica completamente torto, dificultando o manuseio. Com ele no “loop”, o freio fica sempre bem alinhado.

Como fica o mosquetão de freio nas alças e no “loop” da cadeirinha.

Outro motivo, e esse envolve realmente a questão da segurança, é que os mosquetões são projetados para receberem esforços em apenas duas direções, e ainda assim, dependendo de onde esses esforços são submetidos, a carga suportada é dramaticamente diferente. Basta dar uma olhadinha na lateral do seu mosquetão para ver as cargas suportadas de acordo com a orientação dos esforços.

Olhando de novo para imagem do mosquetão nas alças, percebe-se que existem três pontos de solicitação nele, que podem gerar esforços para os quais seu mosquetão não foi projetado, nem testado. Portanto, eu não faço a menor ideia de quanto ele aguenta nessas condições. Não estou dizendo que ele vai romper se for usado assim, mas também não posso afirmar que não vai. Na dúvida, melhor usar do jeito recomendado pelo fabricante não é?

No email o David também fala de outros modos de rapelar, com o freio preso a uma fita, ou na Daisy Chain. Mas isso eu tenho certeza que eu não vou deixar melhor explicado do que ele nesse artigo, onde ele explica diferentes formas de fazer rapel.

Facebook Comments