Semana Gringa – O retorno

Faz bastante tempo que eu deixei de escrever o que eu considero umas das melhores colunas do Desce daí, doido!, a Semana Gringa. Os motivos pra inconstância e por ter parado são vários, mas isso não vem ao caso. O fato é que eu acho que agora seria um bom momento para a coluna retornar, com sua periodicidade semanal (óbvio), só que agora pensei em trabalhar em um outro formato. Em vez de usar uma estrutura em tópicos, com cada destaque da semana aparecendo como pequenas notícias, eu achei que seria mais interessante tratar a coluna como um texto único, apontando aqui e ali os destaques e podendo até mesmo fazer ligações entre eles, quando isso fosse possível. Não sei se vai funcionar muito bem, nem se vocês vão gostar, mas vamos tentar.

Essa semana, sem dúvidas nenhuma, foi das mulheres. Já começamos no domingo com o vídeo, que rapidamente se tornou viral entre a comunidade escaladora, da japonesa Tomoku Ogawa, de 34 anos, que se tornou a primeira mulher a escalar o extremo grau de V14, lembrando que a escala só vai até o V15. As propostas de V16 existem, mas existe o pensamento de que o V16 surgiu por pura inflação dos graus no boulder. Mas isso é outra história. O fato é que Ogawa fez história ao encadenar o boulder Catharsis, criação do seu compatriota Dai Koyamada. Mas o mais interessante da história, é que até ali, Ogawa só havia escalado dois V12 e nenhum V13. Bela evolução.

O outro grande destaque feminino ficou com alguém 23 anos mais jovem, a pequena Ashima Shiraishi, que por coincidência (ou não) tem raízes japonesas. A baixinha que já é conhecida por ser a pessoa mais jovem a encadenar um V13, apareceu essa semana em Red River Gorge e já chegou “causando”. Logo no primeiro dia a menina botou no bolso o 10c (8b+ fr; 5.14a us) da via God’s Own Stone, de longe a via mais repetida pela pivetada, com cadenas de Brooke Raboutou (10),  Cameron Hörst (11) e Drew Ruana (12). Quase um parque infantil. Se ela parasse por ai, já seria fantástico. Ashima é da “vibe” dos boulders, e pelo que tenho notícias, não havia antes se atado numa corda pra escalar. Mas eis que baixinha resolve arregaçar as mangas e encadena em flash (alguns dizem que foi praticamente à vista) a via Omaha Beach 10c, e agora as notícias é de que ela está próximo de conseguir a cadena da via Southern Smoke 11b (8c+ fr; 5.14c us). Se conseguir, Ashima se tornará a pessoa mais jovem a escalar um 11b, batendo por 1 ano o recorde de Adam Ondra.

Ashima na via God's Own Stone 10c

E por falar em Adam Ondra. Depois de estabelecer o que pode ser o primeiro 12c do mundo, praticamente no fim da temporada de escalada na Noruega (imagina o frio que deve estar fazendo agora por ali), o fenômeno tcheco está a caminho dos Estados Unidos, mais especificamente Red River Gorge, fazendo sua primeira trip pelo país. Red River Gorge explodiu de uns tempos para cá como a meca da escalada esportiva nos Estados Unidos, com algumas vias muito duras como a Pure Imagination e a Golden Ticket, ambas cotadas em 11c (9a fr; 5.14d us). Com certeza Adam vai “passar o rodo” nessas vias, repetindo todas muito rápido, mas a grande expectativa é que Adam esteja indo para RRG para tentar a primeira cadena à vista de um 11c. Mais um recorde para fenômeno tcheco? Veremos…

Mas nem só de Adam Ondra e Ashima Shiraishi vive o pico americano de Red River Gorge. Essa temporada está atraindo vários escaladores fortes do mundo inteiro. Gerome Pouvreau, Melissa Le Neve, Nina Caprez, Michel Fuselier, estão por lá, mas o claro destaque ficou a cargo do suiço Cedric Lachat, que andou destruindo as vias locais. Cedric escalou à vista a via Omaha Beach 10c, encadenou na quinta tentativa o 11c da via The Golden Ticket, e não satisfeito, colocou no bolso o 11c da via Pure Imagination, na segunda tentativa! O “team america” também está em RRG e também fez bonito essa semana. Jon Cardwell garantiu o 11b da via 50 Words for Pump na terceira entrada, enquando o “boulderman” Daniel Woods colocou no bolso a via Southern Smoke, também 11b.

Saindo de Red River mas continuando nos Estados Unidos. Essa ainda não chegou com força na mídia, mas não vai demorar muito. As notícias chegam do vale de Yosemite, na California. Tommy Caldwell está de volta para tentar liberar o que pode ser o Big Wall mais difícil do mundo, o famoso projeto The Dawn Wall. Mas dessa vez a equipe aumentou, e virou praticamente um “dream team”. Junto com Caldwell vai estar novamente Kevin Jorgenson, que já trabalhou a via na temporada passada com ele, e a grande adição pro time: Jonathan Siegrist. Jonathan é um dos escaladores esportivos mais fortes dos Estados Unidos e tem feito primeiras ascensões de vias muito fortes por todo o país. Será a primeira experiência em Big Wall de Jonathan, mas Tommy Caldwell acha que ele será uma grande  ajuda para os esforços de escalar a via em uma tentativa desde o chão. Vamos esperar (e torcer para o tempo ajudar).

Isso é tudo por essa semana. Espero que tenham curtido esse retorno da semana gringa, agora com o novo formato, e eu espero continuar mantendo a coluna viva! Até a próxima sexta!

Facebook Comments