Grave acidente com a promessa italiana Tito Traversa

Pra quem acompanha o Desce daí, doido! sabe que o blog sempre deu muito destaque para a garotada que escala forte, tanto no Brasil quanto lá fora. E um dos vários jovens talentos que falamos aqui foi o italianinho Tito Traversa, hoje com 12 anos. Gostaria muito de estar aqui escrevendo sobre mais uma cadena fantástica do garoto, mas a notícia dessa vez é triste.

Enquanto escalava no pico francês de Orpierre, juntamente com amigos do seu ginásio de escalada, Tito Traversa sofreu uma queda até o chão. Não se sabe ainda como se deu ao certo o acidente. As notícias falam que Tito não estaria usando seu material próprio de escalada e sim de uma menina que estava no grupo, que usava capacete e que algum problema na parada o fez cair. Estima-se que Tito tenha caído de uma altura de cerca de 20 metros. O estado de saúde do menino é grave, e  ele luta pela vida em um hospital de Grenoble em estado de coma induzido.

Tito é hoje a maior promessa da escalada italiana. Com apenas 9 anos de idade Tito já escalava sua primeira via de  10a, seus primeiros 10b com 10 anos, e até agora já havia escalado alguns 10c. Só nos resta agora torcer pela recuperação do pequeno Tito, mandando toda a energia que ele precisa nesse momento crítico. Confira abaixo o vídeo com o primeiro 10c da carreira de Tito, Sarsifal.

Atualização 1 : Tito Traversa veio a falecer 3 dias após o acidente, que foi causado por um erro na montagem das costuras que ele usou. As costuras foram montadas com o mosquetão passando apenas por dentro da borracha que impede que o mosquetão gire e não por dentro da fita. Tito estava apenas aquecendo, e era sua primeira via do dia. Na hora de descer, as costuras de cima falharam e Tito veio ao chão. Apesar de haver  costuras montadas corretamente na via, elas estavam na parte mais baixa, o que não impediu a queda de Tito. 

Atualização 2: Três pessoas vão responder judicialmente pela morte de Tito Traversa. O jornal La Stampa informou em dezembro de 2015, que Luca Giammarco, o representante legal da Bside, empresa que organizou a viagem de escalada na qual Tito estava; Nicola Galicia, um dos instrutores supervisionando Tito e as outras crianças no dia do acidente, e Carlo Paglioco, representante legal da Aludesign, a empresa que produziu a borracha usada nas costuras do acidente; foram indiciados e ainda devem ir a julgamento. 

Fonte: Desnível

Facebook Comments