16º Encontro de Escaladores do Nordeste bate recorde de participantes

Neste feriado prolongado, 7 a 10 de setembro, aconteceu o já tradicionalíssimo Encontro de Escaladores do Nordeste (EENe).  Chegando esse ano na sua 16º edição, o evento retornou à cidade pernambucana de Brejo da Madre de Deus,  que já havia sido sede em 2010. No total foram 228 inscritos, número recorde de participantes em todas as edições do evento. Até então o recorde era do EENe de Igatu, em 2014, com 178 inscrições. O Desce dai, doido! esteve por lá e vai contar um pouquinho do que rolou em Brejo!

O local

Brejo da Madre de Deus fica distante cerca de 200km de Recife, a uma altitude de 620 metros. Na região fica o ponto mais alto de Pernambuco, a 1200 metros, na Serra do Ponto, que é um dos muitos setores de Brejo. No total são 8 grandes setores, entre eles a Serra do Estrago e o ícone da cidade, a Pedra da Bicuda.

A rocha de um granito aderente e bastante abrasivo gerou paredes muito propícias para a escalada tradicional, que é o grande atrativo de Brejo. Das mais de 200 vias catalogadas no lugar, quase metade são de vias tradicionais, com proteções fixas, mistas ou totalmente em móvel.

O evento

O EENe começou oficialmente no dia 07, com uma ingrata surpresa para todos os participantes: chuva! Boa parte do dia ficou com tempo fechado e pancadas de chuva que teimavam em cair a todo instante. Contudo, por volta das 15h, o sol chegou pra ficar e os escaladores aproveitaram a trégua e correram para o setor mais próximo do alojamento, a Serra do Estrago.

Já no primeiro dia teve início a programação do evento, ocorrendo paralelo às escaladas. Gabriel Veloso ministrou a primeira de três turmas de Treinamento Mental para escaladores, baseado no livro  “O Caminho do Guerreiro da Rocha” de Arno Ilgner, lançado no Brasil pela Companhia de Escalada. Ao mesmo tempo ocorria uma oficina de escalada para iniciantes, garantido a diversão dos mais novatos no evento.

À noite foi a vez da primeira palestra. O escalador cearense Júlio “Francês” Pimentel falou sobre a sua experiência, ao lado do parceiro Tiago Reis, de escalar a mítica The Nose, no El Capitan em Yosemite, em apenas um dia. Com bom humor e esbanjando conhecimento técnico, Júlio entregou uma palestra inspiradora, monstrando que não precisa ser um Alex Honnold ou um Tommy Caldwell para alcançar grandes objetivos.

Serra do Estrago, palco do II Festival de Escalada Tradicional
Serra do Estrago, palco do II Festival de Escalada Tradicional

No segundo dia ocorreu o II Festival de Escalada Tradicional, onde as duplas inscritas teriam 12 horas para escalar o máximo de paredes possíveis, acumulando pontos para cada via escalada integralmente pela dupla. No final, os vencedores foram a dupla Júlio Pimentel e Tiago Reis, que escalaram 7 vias, somando um total de 1045 metros escalados. Como prêmio a dupla levou pra casa um belo troféu fabricado com sucata pelo artista local Luiz Carlos. Em segundo lugar ficou a dupla Formiga e Graciane, e em terceiro, Júnior Manoel e Rafael Nonato.

Julio Pimentel e Tiago Reis, vencedores do Festival (Foto: Ricardo Damito)
Julio Pimentel e Tiago Reis, vencedores do Festival (Foto: Ricardo Damito)

A palestra da segunda noite ficou por conta da escaladora mineira Branca Franco, que falou um pouco sobre as suas escaladas em grandes paredes, injetando motivação nas escaladoras e mostrando que é sim possível para elas buscar seus próprios objetivos na escalada sem estar à sombra dos homens.

A noite também foi de homenagear o escalador paraibano Wolgrand Falcão, figura lendária da escalada nordestina, que faleceu em um acidente escalando na Pedra da Boca no começo do ano. Foi passado um vídeo com alguns momentos de Wolgrand que dividiu a platéia entre o riso e o choro. No final, todos aplaudiram de pé. Esse foi o primeiro EENe sem a presença de “Vulca”, como era conhecido entre os amigos, e com certeza sua ausência foi sentida por todos.

No último dia do evento muitos aproveitaram, como o blogueiro que vos escreve, para visitar o setor mais clássico de Brejo, a Pedra da Bicuda. Para chegar até lá é necessário uma caminhada de cerca de meia hora por uma trilha muito bem marcada e que foi muito bem sinalizada para o evento. Por lá várias cordadas desfrutaram das clássicas paredes, entre elas a famosa Costas Quentes. O dia também foi de cadenas nas esportivas, com cadena quadrupla da via Andróide Nº6 8a, pelas mão de Ricardo Damito, Iale Renan, Josias Azevedo e Thiago Hara. 

O evento foi encerrado pela palestra do escalador Formiga, um dos nomes mais conhecidos da escalada nacional,  que falou um pouco sobre todas as suas principais conquistas, tanto no Brasil quanto no exterior. Depois da palestra foi a hora da confraternização final, que lotou o barzinho em frente ao alojamento e se estendeu até à madrugada.

O guia

Guia de Escalada de Brejo (Foto: Miguel Zoorro Millán)
Guia de Escalada de Brejo (Foto: Miguel Zoorro Millán)

Como é tradição de todo EENe, cada participante recebe um guia do local. A cada ano os guias tem ganhado mais páginas e melhorado bastante em relação ao design e impressão. Grande exemplo foi o guia do EENe de 2015 em Quixadá, o primeiro feito com vistas a ir além do evento. Esse ano não foi diferente e Brejo da Madre de Deus ganhou um belo guia, muito elogiado pelos participantes, com 136 páginas e que mostra em detalhes os setores e vias do lugar.

Se você não foi ao encontro, o guia pode ser baixado gratuitamente no site do EENe, assim como guia das edições anteriores mais recentes. Se preferir a versão impressa, ainda há alguns disponíveis que podem ser comprados pelo email: cauivc@gmail.com.

Próxima parada

O Encontro de Escaladores do Nordeste é um evento itinerante, que acontece ano a ano em um estado do nordeste diferente. É o único evento de escalada nacional que tem essa característica. Ano que vem o evento retorna ao estado do Rio Grande do Norte, que já recebeu o evento em 2012, no pico de Serra Caiada. Os organizadores ainda não divulgaram o local onde acontecerá a 17ª edição do evento, mas há grandes chances de que seja um novo pico, mantendo a tradição do EENe de apresentar novos lugares à comunidade escaladora do nordeste e do Brasil. Foi assim com Itatim em 2009, Brejo em 2010, Algodão de Jandaíra em 2013 e Santana do Ipanema ano passado.

 

Facebook Comments