3 picos de boulder no Brasil para conhecer em 2020

Começo do ano, aquela época em que a gente para e começa a sonhar e planejar as trips que vem pela frente. Mas com tanto lugar pra escalar no Brasil às vezes fica difícil de decidir. Então pra dar aquele “help” resolvi deixar pra vocês aqui a dica de 3 picos de Boulder no Brasil para conhecer nesse ano de 2020.

Milho Verde

Blocos a perder de vista em Milho Verde (MG) – Foto: Kelly Portioli

A cerca de 200km de Belo Horizonte fica o pico de boulder que desponta como o de maior potencial hoje no país, com capacidade de vir a se tornar até mesmo um destino internacional devido à quantidade e a qualidade dos blocos espalhados pela região.

Em desenvolvimento por pouco mais de dois anos, Milho Verde já conta hoje com mais de 1300 linhas cadastradas no site 8a.nu. Para se ter uma ideia são mais linhas do que picos consolidados, como Sabará e Igatu, mas com espaço pra mais. Muito mais!

Parece Rocklands mas é Milho Verde! – Foto: Claudio Brisighello

As linhas estão distribuídas em 20 setores, alguns com trilha de apenas 1 minuto de caminhada, outros um pouco mais longe, mas com trilhas de não mais do que 20 minutos. O quartzito local deu origem a boulders dos mais variados estilos e dos mais variados graus, do V0 até vias na casa do V13 e projetos de V14/15. Os escaladores locais já estão desenvolvendo um croqui do local no Google Maps, que já contem informação de como chegar nos principais setores, com tempo de trilha e as fotos dos blocos com os croquis das linhas.

Ano passado o pico recebeu a sua segunda edição do seu festival, o Milholands, e as primeiras visitas gringas, com nomes de peso como Daniel Woods, Shawn Raboutou e Nina Williams, que voltaram para os “isteites” impressionados com o local e divulgaram o pico em um ótimo vídeo da trip.

Nina Williams no Glaucia V10 – Foto: Matty Hong

Para ficar existem diversas opções voltadas para o público escalador, com 5 abrigos de escalada na região, com opções de camping e quartos no abrigo, onde é possível ficar a partir de R$25 reais a diária no camping e na faixa de R$35/40 no abrigo.

Além de contar com escalada de qualidade, o pico conta também com ótimas opções para os dias de descanso, com 5 cachoeiras nas redondezas, perfeitas para relaxar depois de uma longa “session” nos blocos locais.

Com tanto atrativo, Milho Verde é com certeza um dos picos de boulder para se conhecer em 2020!

Iperó

Leo Franceschini em Iperó – Foto: Tiago Palito

Ter um pico de escalada a 1 hora da capital era sonho antigo dos paulistas e esse sonho virou realidade em 2017, quando foram descobertos os primeiros blocos de Iperó. Desde então o pico de boulder vem se desenvolvendo rapidamente e a quantidade de blocos e linhas se multiplicado.

Hoje o pico já conta com mais de 300 linhas de boulder, em um arenito de qualidade e um estilo de escalada único. São 5 setores de escalada escondidos no meio dos “bosques”, no melhor estilo Fontainebleau, com boulders do V0 ao V13 e projetos de V14/15.

Felipe Camargo no Monalisa V13 – Foto: Bruno Camargo

O que impressiona em Iperó, além da qualidade dos boulders, é o trabalho feito no pico, que vai além de abrir linhas, limpar e preparar bases. A comunidade paulista abraçou o pico de maneira impressionante e chegou até mesmo a construir, com as próprias mãos, um abrigo no local.

O “cativasso”, como chamam os escaladores locais, possui área para camping, cozinha comunitária e banheiros. Tudo naquela vibe “raiz” e mantido com os valores das diárias que custam a partir de R$15 para uma noite, mas tem descontos progressivos para quem fica mais dias. Ah, e dá pra reservar seu lugarzinho direto pelo site.

O trabalho da comunidade também já realizou em Iperó dois festivais, o Iperocks, que já renderam para o pico um croqui do local que deve receber atualização em breve, e ano passado também recebeu a visita dos gringos.

Ben Sotero no Queima Roupa V4 – Foto: Yves Barrolet

A melhor época para visitar Iperó é com certeza no inverno, de junho a agosto, com o arenito colando. Na época das chuvas é bom ter cuidado, porque além de literalmente “babar” o climb você pode acabar danificando os boulders, já que o arenito é poroso e fica mais sensível quando molhado, podendo quebrar agarras chave dos problemas. 

Com a qualidade da rocha e a proximidade da capital, Iperó é daqueles picos que vale a pena conhecer nem que seja só para aquele “night climb” se vocês estiver de passagem por São Paulo. Mas não se surpreenda se você se sentir tentado a ficar e esticar a trip por mais uns dias e aproveitar tudo que o pico tem a oferecer. 

Conceição do Mato Dentro

André Braga no Roleta Russa V8 – Foto: Peruzzo

Quando se fala em escalada é difícil fugir de Minas Gerais. Além de contar com o pico de esportiva mais conhecido do Brasil, o estado tem também alguns dos melhores picos de boulder e um desses, que não é uma novidade como os dois primeiros, mas também não é dos mais badalados, é Conceição do Mato Dentro.

Conceição fica a apenas 60km da Serra do Cipó (160km de Belo Horizonte) e tem uma qualidade rara e muito apreciada pelos boulderistas: facilidade de acesso. Em alguns dos blocos é possível parar o carro literalmente do lado! As bases são perfeitas e os blocos de quartzito deram origem a um estilo bem definido, com regletes no negativo, tetos de agarras sólidas e viradas abauladas desafiadoras.

Negativos de agarras perfeitas – Foto: Gabriel Vargas

O pico já conta também com mais de 1300 linhas cadastradas no 8a.nu, de todos os níveis, distribuídos em 7 setores, com blocos dentro de floresta ou em campos abertos, em paisagens que são um convite tanto para a escalada quanto para a contemplação.

Como a maioria dos picos de boulder, Conceição também tem o seu festival, que esse ano já tem data pra acontecer e será no último final de semana de julho. No festival do ano passado já foi editado um croqui do pico, que não tem ainda todas as linhas, mas cobre os principais setores do local.

Felipe Camargo escalando em Conceição

Para ficar a melhor opção é a pousada Estrada Velha, com opções de camping, quarto coletivo e quartos individuais e para casais para os que desejam um pouco mais de conforto. Todas as opções incluem café da manhã!

Além dos boulders incríveis, Conceição também guarda algumas das cachoeiras mais impressionantes da região. Entre elas está a famosa Cachoeira do Tabuleiro, a terceira maior do país. A trilha para chegar até lá é longa, com cerca de 1 hora, mas compensa pelo visual incrível.

Se você ainda não conhece Conceição com certeza vale a pena a visita, que pode até ser combinada no combo perfeito: Cipó-Conceição! Quem se anima?

Foto de capa: Rodrigo Pessoa escalando no setor do Tetos em Milho Verde – Peruzzo

Facebook Comments