Destino: Igatu

Durante o carnaval eu tive a oportunidade de conhecer Igatu, na Chapada Diamantina. Essa foi mais uma trip que fiz em parceria com o Sky Scanner Brasil, e como eu havia mencionado antes, essas trips agora vão gerar dois posts. Um vai ser o usual relato da trip, e o outro que vai tentar ser mais um guia para quem quiser conhecer o pico também, com dicas de como chegar, onde ficar, onde comer, onde ficam os setores de escalada, etc. Esse post vai ser do segundo tipo, e em seguida escreverei o relato da trip.

Igatu

Igatu é um distrito da cidade de Andaraí, na Chapada Diamantina, distante cerca de 430km da capital Salvador. A pequena cidade (acho que está mais para uma pequena vila) hoje tem cerca de 350 habitantes, mas segundo os relatos já chegou a ter mas de 9000 pessoas vivendo ali, na época de “ouro” da mineração de diamantes. Hoje, da maioria das habitações desse tempo, restam apenas ruínas. Diferente de Lençóis, a cidade mais badalada da Chapada, Igatu é bem mais calma e tranquila. A vida ali passa devagar e sem muito compromisso, e isso atraí principalmente os turistas “gringos”. Próximo de várias cachoeiras e bons roteiros de trekking, Igatu é uma ótima opção para uma trip de escalada acompanhado de pessoas que não escalam. Como cidade pequena, Igatu não tem muita estrutura. Banco somente em Andaraí e Mucugê. Portanto, não se confie em cartão de crédito e leve dinheiro!

A rua principal de Igatu
A rua principal de Igatu

Como chegar:

Com tempo e disposição, é possível chegar até Igatu de carro. Saindo de Fortaleza são 1350 km, que podem ser percorridos em cerca de 16 horas. Mas se você estiver longe, ou não tiver a disposição e o tempo pra pegar a estrada, a opção óbvia é ir de avião até Salvador. Chegando em Salvador a melhor opção é alugar um carro e pegar a estrada em direção a Andaraí. A entrada para Igatu fica logo depois da cidade, cerca de 5km. Logo depois de uma ponte, à direita, você vai ver a placa e o começo da estrada de pedra até Igatu. Ir de ônibus é um pouco mais complicado. Apenas uma empresa faz a linha Salvador-Andaraí e de lá você tem que conseguir uma carona ou pegar um táxi até Igatu. Algo que achei bastante complicado em ir de ônibus, foi encaixar os horários de vôos com o dos ônibus, que saem somente pela manhã. Se for de ônibus confira bem o horário do vôo para não perder um dia inteiro em Salvador (a não ser que vc queira).

De avião: Passagens para Salvador

De ônibus: Salvador/Andaraí

Onde ficar:

Em trips de escalada a maioria sempre dá preferência a opções baratas de hospedagem. E em Igatu a melhor opção desse estilo é o abrigo Xique Xique, que fica na rua principal de Igatu, logo depois da praça. Administrado pelo Rafael e a Vanessa da Igatu Escalada Trekking, o abrigo oferece tanto quartos quanto camping. A diária nos quartos fica por R$ 25 sem café da manha, e R$ 35 com café. O camping tem diária de R$10,00 por pessoa, tem cozinha e banho quente, mas não inclui café da manhã. Mas caso se queira tomar café por lá, basta avisar no dia anterior e o valor será cobrado a parte.

Área de camping do Xique-Xique
Área de camping do Xique-Xique

Para quem quer mais conforto, ou estiver indo acompanhado da esposa/namorada que não curtem os abrigos de escaladores, uma boa opção é a Pousada Pedras de Igatu, que fica na rua de baixo (você vai ver uma placa apontando para ela na rua principal). A pousada tem 14 suítes, serviço de bar e restaurante e uma piscina natural. A vista de lá é fantástica!

Onde comer:

Se você estiver no camping, você pode fazer sua própria comida ou comer “na rua”. Igatu apesar de pequena oferece alguns bons lugares para comer. O Art Hotel Cristal, de frente a praça, é a opção pra quem quer comer bem mas pagando mais. Lá é o único local para comer uma pizza artesanal feita no forno à lenha. Se você quiser tomar uma Heineken, lá é também o único local  onde irá encontrar. Não preciso dizer que a exclusividade tem seu preço, não é?

Para comer bem e barato, o melhor lugar é o restaurante Xique-Xique (primeira rua antes da praça à direita). O prato feito é gostoso, bem servido e custa apenas R$ 10,00. Para duas pessoas pode-se pedir o prato comercial, que custa R$ 15,00. Lá também é um ótimo lugar para tomar uma cerveja gelada depois de um dia de escalada.

Onde escalar:

Igatu oferece várias opções para escalar, tanto pra quem gosta de vias, quanto pra galera do boulder. Do que provei, pude constatar que o estilo de escalada de Igatu é o que gostamos de chamar de “atlético”. Na sua maioria são boas pegas, mas de movimentos longos. As vias em geral são curtas, mas bem exigentes. Os boulders são na maioria bem negativos, ou de teto, pedindo bastante força. A rocha de Igatu é o quartzito, que em termos de abrasão fica no meio termo entre um calcário e um granito. Ou seja: boa aderência mas sem esfolar muito a mão. Também se encontra em Igatu algumas formações de aglomerado, mas não tive a oportunidade de escalar nelas.

O setor mais próximo da cidade é o Labirinto, que fica a apenas 10 minutos de caminhada, e oferece tanto vias quanto boulders. As vias no setor são curtas, no máximo 20 metros, e variam do terceiro grau até o 8b. O setor fica boa parte do dia na sombra, devido às paredes serem próximas umas das outras (por isso o nome labirinto). Isso também pede um pouco de atenção na hora das vacas. Os boulders do local são muitos, e chegando no setor você entende o porque de compararem Igatu a Rocklands. O cenário lembra bastante o pico sul africano.

Um dos locais do setor California
Um dos locais do setor California

Outro setor bastante conhecido é o California, que fica a cerca de 40 minutos de caminhada, e fica ao lado do rio e de uma linda cachoeira. Lugar perfeito para um dia de escalada descontraído. As vias aqui são um pouco mais altas, mas o estilão é o mesmo. Outros setores mais conhecidos de Igatu são o Verruga, Cruzeiro e Rosinha (que fica mais distante).

Se você está indo a Igatu pela primeira vez, vai ter que pedir uma ajuda para os escaladores locais, já que não existe croqui das vias e boulders. Se o seu lance é via, fale com o Rafael do Igatu Escalada Trekking, que ele irá lhe passar os betas ou até mesmo acompanhar você se estiver livre. Se você é da vibe dos boulders, procure pelo LP, que ele lhe mostrará com prazer os setores de boulder do local.

PS: Existe um croqui do setor Labirinto no site Quero Escalar. O croqui não está atualizado mas vale de referência de como chegar no setor e de algumas vias.

 

Facebook Comments